Pensar que a licença maternidade está para acabar, tira o sono de muitas mães, principalmente as de primeira viagem, que estão passando por isso pela primeira vez.

Ter que retornar ao trabalho e deixar o bebê, seja em casa ou na escola, é um sofrimento enorme. Uma separação brusca, depois de um longo período de dedicação quase que exclusiva ao bebê. Não é para menos que essa mudança vem cercada de ansiedade.

Quais as opções disponíveis para a volta ao trabalho?

Se você trabalha porque precisa, então definitivamente ficar em casa para ser mãe em tempo integral está fora de cogitação.

Retornar ao trabalho significa ter que tomar algumas decisões referentes ao que fazer com o bebê no período que você estiver fora. Quem vai cuidar dele?

1. Deixar o bebê com um familiar ou parente.

Essa sem dúvida é uma das melhores opções porque você tem certeza que seu filho será cuidado por uma pessoa que o ama.

Mas é claro que essa alternativa só funciona se você tiver algum parente com tempo disponível ou que não trabalhe, se a pessoa escolhida estiver disposta a respeitar seu estilo de educação, se você e seu esposo aprovarem a forma de cuidar da pessoa em questão.

Muitas vezes que assume esse papel é a vó, mas algumas coisas devem ser levadas em consideração para que tudo funcione. A vó tem disponibilidade de horário? Tem energia e saúde para cuidar de um bebê? A vó se da bem com o casal e está disposta a acatar a educação que vocês acreditam ser melhor? Além do bem estar da criança, é preciso pensar em evitar conflitos familiares futuros. Afinal, o bom relacionamento com a família também é super importante.

2. Deixar o bebê em uma escolinha ou creche.

Essa é uma opção que pode ser tanto a mais cara quanto a mais barata dependendo do lugar escolhido. Existem estabelecimentos para todos os bolsos.

Antes de escolher a escola é preciso saber como as crianças são tratadas, quantos profissionais ficam com as crianças, as atividades que são desenvolvidas e diversos outros fatores.

Mas, todo mundo sabe que quando entram na escolinha as crianças acabam ficando doentes com frequência até que seu sistema imunológico se adapte. E para muitas pessoas, o ideal é adiar esse momento até que seja totalmente necessário.

3. Contratar uma babá.

A babá vai cuidar do seu bebê no conforto da sua casa e de forma individual. Vai te ajudar nos cuidados quando você estiver em casa e vai livrar bastante sua carga de trabalho.

No entanto, escolher uma babá, pode ser uma tarefa bem complicada. Indicação das amigas é sempre uma boa, mas quando você não consegue por essa via, o que fazer?

Eu conheci a Captivé, uma agência dedicada ao recrutamento e seleção de babás e baby sitters.

Como funciona uma agência de recrutamento de babás?

Vou contar um pouco da Captivé que foi a empresa que eu conheci. A Captivé é uma Consultoria especializada que te auxilia na contratação da Babá.

A Captivé surgiu em 2017, oferecendo serviços de baby sitters e como agência de babás. A agência atua, também, qualificando e treinando babás e baby sitters . A ideia surgiu em parceria de mãe e filha, ambas babás, que sentiram a falta de profissionalismo na interação das babás com os bebês.

A consultoria é realizada de forma personalizada. Primeiro realiza-se uma entrevista com os pais, entendendo as expectativa e rotinas. Depois são feitas entrevistas com as Babás para entender a personalidades de cada uma. O objetivo é escolher a profissional que se encaixa melhor no estilo de vida da família.

Além disso, a consultoria também auxilia com questões trabalhistas, e-social e na economia de longo prazo, mantendo uma profissional de qualidade em casa.

Qual o custo de uma agência de babás?

O custo é fixo, não está atrelado ao salário da profissional, nele já está incluso todo o processo de avaliação psicológica, testes psicológicos, histórico profissional e comportamental da candidata a vaga.

E os leitores aqui do blog da Ana Kobashi Fotografia vão ganhar 10% de desconto do valor, basta apenas mencionar que conheceu Captivé a partir do Blog que o desconto é aplicado imediatamente no momento da elaboração do contrato.

Como é feita a seleção das candidatas?

Além da exigência de experiência prévia das candidatas, a Captivé também faz uma rigorosa checagem de dados, analisa e levanta o histórico profissional e realiza testes psicológicos nas candidatas.

A avaliação psicológica visa proporcionar o mapeamento psíquico das candidatas, alinhando as competências funcionais e aumentando a assertividade no processo de seleção das babás.

É também com a avaliação psicológica que garante-se melhor capacidade, qualidade e produtividade da candidata. A avaliação também é o momento onde tenta-se identificar psicopatologias, oferecendo maior segurança na hora da contratação.

Além disso, Durante a avaliação é feita uma entrevista por competência, a aplicação de um teste de personalidade e a elaboração de um laudo psicofuncional das candidatas.

Se você está precisando de uma babá ou baby sitter e não sabe como escolher uma profissional adequada, entre em contato com a Captivé pelo whatsapp (11) 94489-2898.